quinta-feira, 28 de setembro de 2017

36ª Semana Literária SESC & & XV Feira do Livro Editora UFPR


Terminou neste fim de semana (23/09)  a 36ª Semana Literária SESC & XV Feira do Livro Editora UFPR. O evento como a  ‘Literatura e(m) movimento’. Com o objetivo de pensar a literatura em toda sua plasticidade e capacidade de desdobramento em suas relações com as outras artes, o evento contou com a participação de nomes conhecidos como Verônica Stigger, Zé Miguel Wisnik e Walter Silveira.


A  feira contou com a participação de 26 livrarias  e editoras do país entre elas estão a Editora UNESP e a Editora UFMG. Entre romances, biografias e outros, o maior destaque foi a enorme quantidade de livros técnicos e acadêmicos, todos com descontos que variaram entre 20% a 40% de desconto.

O evento que já faz parte da agenda cultural da cidade de Curitiba, trouxe de forma gratuita diversas atrações e para diversos públicos, como contação de histórias para as crianças e análise literária para os vestibulandos. Vale lembrar, que a Feira estava recheada de oficinas, lançamentos e autógrafos com autores de livros e exposições.


E claro, que estive lá e marquei presença. Confira as fotos do evento e a seleção que fiz dos livros mais interessantes da Feira.



Pós mulher: Corpo, Gênero e Sedução
Sinopse:


“Neste livro, o leitor encontrará uma leitura agradável, clara e firme, convincente e capaz de gerar uma infinidade de questionamentos. Disto se trata: gerar no leitor a possibilidade da dúvida, da reflexão e da crítica, em tempos em que muitos debates sociais e culturais carecem do sentido da crítica e da coragem. Como resultado, o livro navega com suave estilo no caminho de uma contemporaneidade feminina que se reinventa e recria à luz dos discursos de muitas mulheres entrevistadas.”


Filhotes: 1001 Fotos
Sinopse:


“Os filhotes de animais são desajeitados, vulneráveis, engraçados e sempre cativantes. Eles têm um poder enorme de nos encantar. E é este encanto que surge nas 1001 fotos deste livro, que traz essas criaturas fofas no seu ambiente natural. As imagens dos filhotes - os selvagens e os domésticos - vão além do extraordinário momento do nascimento e mostram os primeiros passos, o início de uma vida marcada pelo rápido crescimento, pela extrema dependência e os laços complexos nas relações com pais e irmãos. Depois que chegam ao mundo, os filhotes aprendem de maneira própria sobre o universo que os cerca ao explorar, experimentar e brincar ao mesmo tempo que enfrentam os perigos do mundo animal.”


Machado de Assis: Lido e Relido
Sinopse:


“A obra de um grande autor estimula interpretações, estudos e pesquisas de diferentes áreas e metodologias. Machado de Assis é um desses grandes autores, o que seria da prosa brasileira sem "A Teoria do Medalhão" e "Memórias Póstumas de Brás Cubas"?

Este livro, originalmente publicado em inglês, foi preparado durante 11 anos para a adaptação ao público brasileiro. João Cezar de Castro Rocha reúne em um único volume 41 ensaios que permitirão ao leitor uma visão generosa dos estudos machadianos e sobre a produção do escritor. Dentre os autores dos artigos que compõem a obra estão nomes conhecidos da crítica nacional e internacional, como Alfredo Bosi, Hélio de Seixas Guimarães, José Saramago e Kathrin H. Rosenfield.

Na medida do possível, o livro procura reunir todas as orientações metodológicas e todas as abordagens teóricas - e isso sem filiar-se a grupo algum e sem adotar este ou aquele paradigma como o caminho necessário para o entendimento da obra machadiana. Pelo contrário, sua riqueza desautoriza exclusivismos, em geral animados pelas disputas de poder que animam o cotidiano da universidade e que, de fato, muito pouco têm a ver com produção de conhecimento acerca da obra de Machado.”
Feminismos, Animalismos e Veganismo
Sinopse:

“O livro surge a partir de um simpósio temático, realizado na Universidade Federal de Santa Catarina, que a Dra. Aline Bonetti coordenou com a Dra. Patrícia Lessa, e das conexões com o trabalho que a Dra. Dolores Galindo e Dra. Sandra Azeredo vinham realizando na ministração de cursos sobre a obra de Donna Haraway em universidades brasileiras. No simpósio temático, surpreendeu o interesse pelo tema animalista e vegano sob um prisma feminista. A sala permaneceu lotada durante os dois dias de encontro e fomos presenteada/o/s com a visita da Margareth Rago que trouxe questões libertárias para pensarmos as relações com a/o/s animais não humano/a/s. Foram dias de debates no trabalho de Patrícia Giseli; ao final do ST, ela performou “Poeira do cotidiano”, em diálogo com texto da poeta Elisa Luciano. A apresentação do livro por Carol Adams é comovente e mostra a crescente importância das teorias e dos ativismos animalistas e veganos no Brasil, sendo ela uma das referências mais citadas nos trabalhos aqui reunidos. O texto de Donna Haraway, traduzido por Sandra Azeredo, enriquece o debate sobre as relações étnico-raciais na composição de mundos multiespécies, atual e inquietante. O reconhecimento comum da necessidade de publicarmos as traduções dos livros de Donna Haraway para língua portuguesa, que realizamos para nossos cursos, data de 2012, quando nós duas, Patrícia e Dolores, tivemos o feliz encontro que culminou no trabalho atual e estreitamos parceria com Ângela Donini. Para a capa do livro, contamos com a criação de Elisa Riemer, artista feminista brasileira, radicada em Maringá e com uma foto da exposição “A natureza da vida” cedida pela artista Fernanda Magalhães. Esperamos que a proposta de discussão, heterogênea e múltipla, apresentada neste volume, reverbere, no solo dos ativismos e das teorias feministas, a urgência de pensarmos sobre nossas artes da existência em um mundo que está longe de ter/ser exclusividade humana.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário