terça-feira, 25 de julho de 2017

Aos Meus 22 Anos


Obviamente, para mim hoje é o dia mais bonito do ano, não só porque hoje se comemora o dia do escritor e há três anos, o mundo dos livros tem sido o meu. Mas porque hoje simboliza um acontecimento que ocorreu há 22 anos atrás.
Pode parecer narcisismo, egocentrismo ou qualquer outro  “ismo” similar, mas para mim, exclusivamente para mim, esse é um dia belíssimo. E nisso, nesses 22 anos que completo hoje, aprendi que grandes castelos apesar de firmes e sólidos estão tão passíveis a cair  quanto um castelo feito de areia ou cartas, aprendi que a quantidade de “amigos” não representa o amor e o zelo dos verdadeiros amigos que muitas vezes conta-se nos dedos de uma mão. Aprendi que corremos demais para por muito pouco e vice- versa.

Na realidade, nunca aprendi tanto a valorizar o passado quando descobri que meu futuro estava em jogo, mas principalmente quando aprendi a deixá-lo para trás. A saúde, essa danadinha, é mais importante do que qualquer outra coisa podemos imaginar.


De qualquer forma, como sempre e como tudo, desejo que esse ano seja… Ops, é segredo! Mas, desejo a todos que me felicitaram, paz, amor e muito de Deus no coração. E aos meus familiares e amigos de verdade, além de tudo isso que já citei, a gratidão de tê-los ao meu lado sempre.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário