domingo, 5 de julho de 2015

Duas Notícias, Uma Menina e A Luta Feminista


Mais uma vez damos de frente com o machismo que começa nos lugares que deveriam fomentar o conhecimento a quem quisesse seja ele homem ou mulher, menino ou menina.



Reprodução

Durante meu giro matinal pelos sites de notícias da web, me deparei com duas notícias um tanto quanto interessantes.
Em um destes sites, uma garota pedia através de um plebiscito a autorização da biblioteca da cidade dela para participar das aulas de robótica no qual ela não poderia participar porque o curso era “só para meninos”. Já no outro anunciava que uma empresa de robótica pretendia criar uma boneca mais sofisticada e com inteligência artificial avançada para substituir a conhecida “inflável” das “brincadeiras” para adultos.
Pensei mil vezes antes de escrever sobre o assunto, mas não consegui passar por elas e ignorá-las simplesmente. Engraçado como em uma notícia, uma menina com menos de 12 anos consegue fazer- talvez sem nem se dar conta- tanta diferença para a luta da mulher em uma sociedade que não lhe dá espaço e credibilidade enquanto na outra, uma empresa que pretende praticamente criar uma mulher perfeita para a satisfação masculina através de um tecnologia que segundo a primeira notícia seria destinada somente para meninos.
O absurdo toma quem lê prestando atenção e se torna ainda maior quando se reconhece, nem que seja um pouco, o quanto a mulher tem e deve lutar pela igualdade nos ramos da tecnologia- e em tantos outros- e ser respeitada pela sua capacidade.
Por que criar uma mulher perfeita aos padrões masculinos com alta tecnologia ao invés de aprender a respeitar a mulher real e usar essa tecnologia para resolver os problemas que enfrenta o meio ambiente, o transporte e o mais importante: a saúde? Qual das opções é a mais simples? Ou melhor a mais correta e ética? Infelizmente, essa opção não é rentável e não tem “graça” segundo os homens machistas, estes que veem essa luta como “mimimi” motivo para a mulher dar uma de “sabida” das coisas.
Mais uma vez damos de frente com o machismo que começa nos lugares que deveriam fomentar o conhecimento a quem quisesse seja ele homem ou mulher, menino ou menina.
Felizmente a história da menina que eu citei no início desde post acabou feliz, ela conseguiu autorização para a realização do curso e anuncio isso com orgulho, pois a atitude da menina foi simplesmente honrosa, entretanto já aviso, foi vencia da batalha, mas AINDA não a guerra. Mas estamos a caminho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário