domingo, 8 de março de 2015

Que 8 de março que nada.


Triste pensar que o 8 de março se tornou uma data como qualquer outra para muitos e para outros o único dia de postar frases e imagens bonitinhas em redes sociais e blogs falando como a mulher é incrível e que o mundo estaria perdido sem ela. Pior seria se fosse um feriado nacional igual ao 7 de setembro e o 15 de novembro onde ninguém lembra mais sobre do que se trata.
Aposto que muitos ao lerem o título do post não entenderam o trocadilho feito “O que tem no 8 de março?”, pois bem é nessas horas que a frase de Rita Lee, “só quem já morreu na fogueira sabe o que é ser carvão”, faz sentido.
Presente e passeio romântico? deixa isso para o dia dos namorados. Estou falando de algo sério e o parabéns? Deseje isso para o aniversário da sua mãe porque somos mulheres todos os dias e nem por isso o 8 de março deve ser o dia em que o mundo se lembra das mães e esposas nas quais ao serem “sexo frágil” precisam de uma data para não se sentirem excluídas. O dia da mulher é todos os dias e para isso basta sofrer com as cólicas menstruais, com as dores do parto e o com preconceito da sociedade em relação aquelas que muitas vezes não são de corpo, mas de alma, mulheres.
Não somos superiores, nem inferiores somos iguais a qualquer artigo no masculino e no feminino. A luta por igualdade não é recente, mas a liberdade para tentar ser igual sim, e para chegar até aqui muitas ficaram para trás e hoje muitas ainda permanecem presas as agressões, ao medo, e como já disse, ao preconceito.

Vamos voltar a realidade, amanhã é dia 9 de março... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário