quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Medos


Com o tempo não ficamos maduros e sim permanecemos crianças. Gostamos de sábados e dos desenhos animados, gostamos de brincar e estar com pessoas que amamos assim como qualquer criança também gosta, a diferença é que com o passar do tempo sofremos um upgrade e então passamos a brincar com assuntos sérios, trocamos a manhã de sábado pela noite e se tivermos sorte encontramos alguém da qual gostamos tanto que queremos passar o resto de nossas vidas com ela. Mas, se somos eternas crianças e as crianças também sentem medo isso significa que os nossos medos também evoluem.
Passamos a ter medo de nos apaixonar e de nos roubarem, temos medos de perder mas também temos medo de nunca conseguirmos ganhar entre tanto medo por ai, aprendemos a sobreviver como um animal, lutamos com alguém pela migalha de um outro alguém para no fim alguém brigar com outro alguém pelos nossos restos.

Uma palavra tão pequena que incomoda todos os dias assim como uma pedrinha no sapato, o problema é que a pedrinha “sai” com uma sacudida, mas o medo não sai nem quando deveríamos estar em paz e com a mesma simplicidade do inicio deste post: gostar de sábados e dos desenhos, das brincadeiras e finalmente e o mais importante estar na presença das pessoas que amamos.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário